sns-container

Plano de Administração

Rapidez

 

Aquando da primeira aprovação pela Agência Europeia do Medicamento das vacinas contra a COVID-19, toda a logística da campanha de vacinação (desde o armazenamento central até à administração em todos os pontos de vacinação) estará montada, por forma a que se possa começar a vacinar em todo o país ao mesmo tempo, utilizando a rede do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Nos lares e estruturas similares os profissionais dos cuidados de saúde primários deslocar-se-ão às instituições e vacinarão in loco, trabalhadores e residentes, eventualmente com apoio de recursos do local. Os profissionais de saúde e outros profissionais prioritários serão vacinados no âmbito dos Serviços de Saúde Ocupacional respetivos ou de outros serviços de saúde próprios.

 

Administração das Vacinas

 

A identificação das pessoas dos grupos prioritários para vacinação será realizada localmente, através da utilização dos sistemas de informação do SNS e, caso. necessário, através da colaboração dos serviços existentes fora do SNS. No contexto institucional a identificação das pessoas será feita pela entidade gestora ou empregadora.

 

Dadas as circunstâncias específicas desta pandemia, a vacinação será efetuada maioritariamente nos estabelecimentos do SNS, nos quais estão alocadas equipas de vacinação devidamente treinadas tendo em conta as especificações das novas vacinas contra a COVID-19.

 

As razões que motivam a vacinação num ambiente mais controlado, prendem-se com as questões de segurança, de transporte e armazenamento, as especificações de distribuição das vacinas, a necessidade de vacinação por grupos prioritários tendo em conta o planeamento da disponibilização de doses de vacinas, a possibilidade de alterações à calendarização prevista e a necessidade de medidas de controlo acrescidas, incluindo a monitorização da vacinação, com bases de dados organizadas a nível central.

 

Toda a vacinação será prioritariamente marcada pela unidade de saúde ou por solicitação dos utentes. A convocatória dos grupos prioritários para vacinação será realizada pelos locais de vacinação. Para pessoas em instituições, cada Agrupamento de Centros de Saúde (ACES)
organizará a vacinação nas instituições da sua área geográfica, incluindo o transporte das vacinas e dos profissionais habilitados.

 

Dado que o objetivo é vacinar um grande número de pessoas no mais curto espaço de tempo, em contexto de pandemia COVID-19, além da vacinação nos ACES, os profissionais de saúde deverão ser vacinados nas respetivas unidades, no âmbito dos Serviços de Saúde Ocupacional.

 

A administração das vacinas será alvo de uma Norma da DGS, específica para cada marca de vacina.

 

Essa Norma conterá informação técnica sobre a vacina com a seguinte informação: tipo de vacina; indicações terapêuticas; contraindicações; falsas contraindicações; precauções; reações adversas; conservação; dose e via de administração; local de injeção; compatibilidade com outras vacinas; intercambialidade entre vacinas e farmacovigilância.

 

Apesar de as precauções e contraindicações, bem como reações adversas graves comprovadamente associadas às vacinas, serem raras ou muito raras o ato vacinal deve ser sempre precedido de um conjunto de informações e perguntas que permitam ao cidadão exercer o seu consentimento esclarecido em relação à vacinação. A Norma conterá informação em detalhe sobre estes aspetos. Prevê-se que todas as vacinas adquiridas sejam fornecidas em apresentação multidose, pelo que, por forma a serem aproveitadas ao máximo, é importante que a vacinação seja rigorosamente organizada, por marcação prévia.

Data de Atualização: 07-12-2020
Voltar